DESIGN com valor DESIGN with value Studio Olea - Design com Valor

Soluções criativas para produtos, embalagens e identidade visual.

Alianças estratégicas e boas práticas

Com as mudanças tecnológicas em ritmo frenético e a competitividade galopante, não é novidade que as empresas têm que se reinventar a todo momento para garantir um sucesso que seja sustentável nos negócios.  Tudo isso aliado a uma pressão financeira provoca uma dificuldade interna nas organizações para que possam de fato inovar. Nessa perspectiva, a formação de alianças estratégicas tornou-se uma necessidade  para que empresas possam expandir e qualificar sua atuação no mercado.

 

Algumas dicas podem servir de baliza para que a busca por empresas parceiras seja de fato produtiva. Em primeiro lugar, é preciso entender os objetivos de se estabelecer alianças, tais como: a diversificação para novos negócios e, assim, atingir novos mercados; ter acesso a novas competências, tecnologias e gerar valor agregado ao seu negócio. Além disso, deve-se definir os fluxos de informação e comunicação, bem como deixar claros os objetivos específicos da parceria. Envolver colaboradores de ambas as empresas e estimular o respeito mútuo são também aspectos essenciais.

 

Saiba identificar quais  são os benefícios gerados  pela parceria e comunique isso aos envolvidos, internos e externos. A definição do que cada uma das empresas pode oferecer, ou seja, de que maneira a equipe de especialistas de cada empresa pode contribuir para o processo e também como os processos produtivos de cada uma colaborar para a nova aliança no que se refere a competências e custos financeiros são fatores que, analisados antecipadamente, favorecem os dois lados e evitam insucessos.

 

Criar um canal de comunicação e negociação flexível e dinâmico, que permita agilidade frente às questões novas que se colocam, propicia a confiança recíproca. Uma parceria engessada pode comprometer os resultados dos negócios. É certo que acordos têm que ser estabelecidos previamente, mas, diante da complexidade do mercado, o diálogo, desde de que alicerçado na ética, é recomendável. É a velha máxima e batida: a união faz a força.

 

POSTS RELACIONADOS